Sinais da Palavra

14.º Domingo do Tempo Comum – Ano B

Porque o mundo de hoje ainda foge da voz profética, da voz que vem corrigir e chamar a atenção, que vem confortar e trazer a esperança, que vem voltar para Deus os corações rebeldes e tão ocupados em tantas coisas.

Porque é tão mais fácil e agradável ouvir as «palmadinhas nas costas», as vozes que nunca nos contradizem, mesmo perante as quedas iminentes, a dos «amigos» que concordam em tudo connosco, mas fogem ao menor pedido de verdadeira amizade.

Porque ainda hoje se precisam profetas… dos que apontam Deus e não a si próprios… dos que insistem, apontando o verdadeiro caminho e não os «caminhos» da moda… dos que fazem ouvir a sua voz e não a calam por conveniência, interesses ou medos humanos.

Porque também hoje o Senhor Deus nos diz: «saberão que há um profeta no meio deles». E anunciar e convidar a acolher Cristo é ser profeta para o mundo de hoje.

E tantos cristãos hoje, como os compatriotas de Jesus, ficam admirados com a sua Palavra, mas perdem-se nessa admiração, não avançando como seguidores, não vivendo essa mesma Palavra no dia-a-dia.

E, confiados nesse amor de Cristo que é força em nós, digamos como São Paulo: «Alegro-me nas minhas fraquezas, nas afrontas, nas adversidades, nas perseguições e nas angústias sofridas por amor de Cristo, porque, quando sou fraco, então é que sou forte».

Mostrar mais

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo