Região

2023: Os Orçamentos Municipais e as Grandes Opções para um ano de incertezas

A apresentação e aprovação do Orçamento Municipal e das Grandes Opções do Plano é sempre um instrumento significativo a cada ano que começa para a governação de um concelho. Tal como para governar um país é preciso um Orçamento de Estado, para governar um concelho é necessário um Orçamento Municipal. Depois de um 2022 de algumas mudanças pela realização de eleições autárquicas, este ano, a maioria dos executivos primam por um trabalho de continuidade, uns mais contidos que outros devido à escalada de preços que tem levado a uma inflação ainda não estabilizada.

Esta semana, o Jornal da Beira sintetiza o Orçamento e as principais Opções para o ano que está a começar, nos 14 concelhos que integram o território coberto pela Diocese de Viseu. A medo, não são muitas as autarquias que se aventuram nas grandes obras, optando por baixar impostos nomeadamente levar o Imposto Municipal Sobre Imóveis (IMI) aos valores mínimos, sobretudo em concelhos de baixa densidade, na tentativa de fixar as pessoas.

Este conteúdo requer uma subscrição

Subscreva uma assinatura ou faça Login.

Emília Amaral | edição impressa JB 05/01/2023


Mostrar mais

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo