Sinais da Palavra

21º Domingo do Tempo Comum – Ano A

Por: Pe. Nuno Azevedo

Quando tudo corre bem na nossa vida, tão facilmente nos enchemos de orgulho, nos sentimos bem connosco próprios, nos afirmamos a causa da nossa própria felicidade.

Mas, quando as coisas correm mal, rapidamente procuramos alguém a quem imputar a culpa, alguém a quem acusamos de tudo e mais alguma coisa… E Deus fica tantas vezes e tão rapidamente nesta lista de «culpados».

Mas, ao contrário do que nós lhe fazemos, Ele não nos abandona, nem nos momentos mais difíceis. É como a mãe carinhosa, que se gosta de ver o seu filho a brincar e a crescer, muito mais tempo passa junto dele, preocupada, de olhar fixo, quando ele está doente.

Deus, pela sua misericórdia, não nos abandona e espera de nós a atitude de quem acredita e de quem se dispõe a descobri-l’O cada vez mais, como Pedro, que responde à pergunta de Jesus «e vós, quem dizeis que Eu sou?», dizendo: «Tu és o Messias, o Filho de Deus vivo».

E faz-nos constantemente descobrir o Seu Amor, ainda que às vezes nos pareça incompreensível, como nos lembra São Paulo, na sua carta aos Romanos, ao dizer: «como são insondáveis os seus desígnios e incompreensíveis os seus caminhos!».

Mostrar mais

Artigos Relacionados

Back to top button