Sinais da Palavra

4º Domingo da Quaresma – Ano A

Por: Pe. Nuno Azevedo

«Deus não vê como o homem; o homem olha às aparências, o Senhor vê o coração».

Como é importante aprendermos a ver, curarmos as cegueiras de quem apenas vê o que parece, de quem não procura olhar com os olhos do coração.

E como tanto mudaria, se primeiro mudasse a forma como olhamos, como procuramos ver as coisas e os outros, se o nosso olhar fosse diferente, mais limpo, mais purificado, mais cheio de luz.

É esse o desafio que encontramos nas palavras de São Paulo, que nos dizem: «vivei como filhos da luz», essa mesma luz que em nós brilha desde o dia do nosso Baptismo, aquela chama da fé acesa que não mais se pode apagar.

E foi essa mesma fé que Jesus quis acender no cego de nascença curado, depois de uma caminhada de descoberta que ele mesmo fez sobre Aquele que lhe tinha recuperado a vista, até dizer: «Se Ele não viesse de Deus, nada podia fazer».

Mas, esta caminhada de fé, esta descoberta da verdadeira Luz que permite ao homem ver de verdade, não fica completa sem o encontro pessoal e único com Jesus. Porque Ele nos vem ensinar a abrir os olhos e ver, com esperança e fé. Porque é na Luz, que é Ele mesmo, que conseguimos ver.

E, assim, vendo de verdade, poderemos também nós dizer: «Eu creio, Senhor».

Mostrar mais

Artigos Relacionados

Ver também
Fechar
Botão Voltar ao Topo