Sinais da Palavra

5.º Domingo do Tempo Comum – Ano C

Por: Pe. Nuno Azevedo

“Santo, santo, santo é o Senhor do Universo”.

Tantas vezes ouvimos e cantamos esta aclamação, proferida pelos anjos na profecia de Isaías, que até nos esquecemos da sua força, desse desejo que exprimíamos no refrão do salmo: “na presença dos Anjos, eu Vos louvarei, Senhor”.

Sim, apesar da nossa impureza, como Isaías também recordava: “ai de mim, que estou perdido, porque sou um homem de lábios impuros, moro no meio de um povo de lábios impuros”. Ou, ao jeito de Pedro que disse a Jesus: “Senhor, afasta-Te de mim, que sou um homem pecador”. Ou da nossa falta de confiança, cansados pela vida, mesmo que Jesus nos diga como ao mesmo Simão Pedro: “Faz-te ao largo e lançai as redes para a pesca” e também lhe respondamos: “Mestre, andámos na faina toda a noite e não apanhámos nada” ou mais à nossa maneira, ‘não vale a pena, Senhor’, não esperando o milagre da ‘pesca abundante’, o toque ‘do carvão ardente’, este milagre do amor e da força de Deus em nós.

Como São Paulo nos desafiava, na sua carta aos Coríntios, saibamos acolher o Evangelho, deixando-o crescer em acreditar em nós. Acolhamos e saibamos transmitir essa Boa Nova: “Cristo morreu pelos nossos pecados, segundo as Escrituras; foi sepultado e ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras”.

Saibamos aceitar o desafio feito a Pedro: “não temas. Daqui em diante serás pescador de homens”.

Saibamos responder ao jeito de Isaías: “Eis-me aqui: podeis enviar-me”.


Mostrar mais

Artigos Relacionados

Ver também
Fechar
Botão Voltar ao Topo