Diocese

Beata Rita Amada de Jesus: Beatificação foi há 15 anos ‘Uma mulher centrada em Deus’

A Beata Rita Amada de Jesus foi uma jovem, uma mulher crente, uma religiosa, a fundadora de uma congregação religiosa feminina a que deu o nome de Instituto JESUS MARIA JOSÉ.

Com uma vida centrada e mergulhada no mistério de Deus, uno e trino, Trindade Santíssima, encontrou no Pai o dom da Providência Divina que sempre a protegeu, no Seu Filho Jesus Cristo encontrou o dom e a riqueza da sua vida e vocação. Mergulhou a sua vida e o seu apostolado no Coração de Jesus, que a acolheu e amou particularmente no mistério da sua presença na Eucaristia, onde aprendeu no silêncio, na oração, no sofrimento na contemplação e comunhão eucarística a grande lição interior para com zelo pastoral anunciar ao mundo, o “Evangelho da Conversão”. Confiada na ação do Espírito Santo e procurando fazer da vida de cada irmã, das crianças e dos jovens que lhe foram confiados, uma vida guiada e santificada pelos dons do Espírito.

A sua vida não foi fácil, mas sempre confiante na graça de Deus e nas orientações da Igreja nossa Mãe sobe com fé e força espiritual interior, confiar a sua vida a Jesus Maria José, procurando sempre discernir a vontade de Deus.

A sua vida pode comparar-se à de um peregrino, que procura sempre o Senhor, desde o romper da aurora (Sl 62) e pela noite dentro, sem se cansar e desanimar, mas com prudência fez da sua vida uma experiência  em caminho de santidade, que  procurou  alicerçar na escuta da Palavra de Deus, na oração, na contemplação, no trabalho, no apostolado e na espiritualidade que brota do ícone de  vida da Sagrada Família de Nazaré, no qual a Beata Rita Amada de Jesus mergulhou sempre a sua vida.

Deus foi a razão primeira e última da sua vida e o desafio do seu apostolado, por isso encontrou sempre na Igreja a sua Mãe. No serviço à educação, à família, berço do seu apostolado, entregou a sua vida ao cuidado dos que era preciso evangelizar e cuidar, principalmente os mais desprotegidos e excluídos da sociedade, os pobres, as jovens em risco de vida moral, as crianças, a família e as mulheres sem instrução, educação e cultura. A sociedade do final do século XIX  e início do século XX foi o terreno favorável para realizar o seu carisma e obra na missão de anunciar o “Evangelho da conversão” às jovens e famílias do seu tempo.

Mulher do povo trabalhou incansavelmente para realizar a obra a que se sentia chamada, particularmente na sua responsabilidade de fundadora de uma nova família religiosa. É dela esta célebre frase: “Se preciso fosse percorreria o mundo inteiro para salvar uma só alma”.

Neste ano dedicado a São José a quem a Beata Rita tinha uma particular devoção e a quem confiava tudo o que parecia impossível realizar, neste ano dedicado à “Família Amoris Laetitia”, quero pedir pela glória que goza junto de Deus a renovação da nossa Diocese, a santificação das famílias, o aumento das vocações e o fim da pandemia. Continuemos a rezar o terço pelo fim da pandemia e peçamos por intercessão daquela que foi uma grande Apostola da Família e do Rosário a graça de sermos atendidos nas nossas preces e necessidades de cada dia.

Ocorre hoje dia 28 de maio de 2021 o 15º aniversário da celebração da Eucaristia da Beatificação de Irmã Rita Amada de Jesus, fundadora do Instituto de Jesus Maria e José.

A cerimónia encheu de povo cristão o largo da Sé de Viseu, vindos de muitos lugares numa celebração presidida pelo Cardeal D. José Saraiva Martins, Prefeito da Congregação para a Causa dos Santos. Foi um dia de festa inesquecível para a Diocese de Viseu e para a Igreja no momento solene em que foram reconhecidas as virtudes heroicas e a santidade de vida de uma filha ilustre deste povo de Viseu.

O Processo na Congregação da Causa dos Santos, onde decorreu o escrutínio para a celebração do Rito próprio da Beatificação, aconteceu depois de ocorrer um milagre realizado por intercessão da Serva de Deus no Brasil e reconhecido pelo Papa São João Paulo II, enquanto Pastor da Igreja Universal.

Passados quinze anos perguntamo-nos o que mudou na vida dos cristãos da Diocese de Viseu, no seu presbitério, na vida quotidiana das comunidades do Instituto de Jesus Maria José, particularmente na vida comunitária das irmãs e no seu apostolado em Igreja. Uma Igreja de comunhão, de participação e de sinodalidade tem que fazer santos, “santos de ao pé da porta” como lhe chama o Papa Francisco. O que aconteceu é um desafio a viver a santidade como povo de Deus a caminho, fazendo juntos esta experiência, que depois deste evento solene devia marcar o ritmo de vida eclesial da Diocese de Viseu. O seu carisma continua atualíssimo e urgente, é preciso levá-lo e desenvolvê-lo nas nossas paróquias e comunidades cristãs. Como tem vivido o Instituto esta primavera de santidade e de esperança, marcada pelo testemunho de vida espiritual e de santidade da Beata Rita? Como tem aproveitado a comunidade constituída pela Reitoria da Igreja da Beata Rita este tempo depois da Beatificação e que trabalho pastoralmente estamos a realizar para fazer acontecer o fim deste percurso com a Canonização, tão necessária e esperada.

Temos dado a conhecer a vida, o carisma, a obra social, a atualidade e novidade do Instituto de Jesus Maria e José, Congregação Religiosa fundada pela Beata Rita Amada de Jesus natural de Casal Mendinho, paróquia de Ribafeita, deste concelho de Viseu.

Parabéns à Diocese! Parabéns à família das Irmãs Jesus Maria José! Parabéns a todos aqueles que encontram na Beata Rita Amada de Jesus um desafio a trabalhar na Igreja e a percorrer o caminho de santidade.

Peçamos todos a Deus por intercessão de Jesus, Maria e José o dom da sua Canonização.

Viseu. 28 de maio de 2021

† António Luciano dos Santos Costa,

Bispo de Viseu


Mostrar mais

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo