Centenário JB

Encerrar, com resiliência e esperança, as celebrações de um Centenário que tem de continuar em cada edição

Foram as comemorações possíveis de um Centenário de um Jornal, semanário da Diocese de Viseu, nascido a 9 de janeiro de 1921. Se iniciava a sua atividade em plena pandemia pneumónica, viu as comemorações dos seus 100 anos serem marcadas pela pandemia da Covid-19.

Mas, 100 anos são uma marca que não deixaram de assinalar, dentro das possibilidades. O apostar num novo e renovado site, presença online, o criar de um espaço memória, com algumas das preciosidades desta história, o renovar visualmente da sua edição, o apresentar a possibilidade de consulta virtual de mais de 100 anos de edição, foram algumas das propostas pensadas e alcançadas nesta comemoração.

Por fazer ficaram muitas iniciativas, inviabilizadas pelos avanços e recuos de uma pandemia que continua a marcar presença. Entre elas, tertúlias, conferências, convívio com antigos funcionários, uma exposição comemorativa, publicação de um catálogo comemorativo. 

Mas, assinalar 100 anos de uma história que enriquece, do primeiro jornal da região a atingir este patamar, mas intima a continuar, mesmo apesar das dificuldades hoje sentidas pela imprensa regional, foi alcançado com a simplicidade e a tenacidade de quem faz parte desta história escrita e marcada em cada semana.

Isto lembrava o Bispo da Diocese, D. António Luciano, na celebração que marcou a comemoração do Centenário na Catedral de Viseu, ao afirmar: “também o nosso Jornal em cada dia, em cada semana, é manifestação através de boas notícias, boas novas, também algumas menos boas, mas sempre de informação e formação, que chegam ao coração de todos”. E continuava: “celebrar o centenário do ‘Jornal da Beira’ é um dom maravilhoso de Deus, que devemos agradecer, viver e construir na memória de uma história criativa, escrita com muitas palavras boas, com a notícia de muitos acontecimentos, a recordação de eventos e de festas, que se tornam a maior riqueza de uma Igreja, de uma sociedade, que na profecia de um mundo novo, sintetiza um conjunto de factos escritos que se tornaram a riqueza de muitas vidas, de muitas histórias contadas deste povo, desta Igreja particular, que na senda da mensagem da esperança, se tornou uma autêntica epifania de bem, de textos escritos que gravaram no papel e no tempo uma boa nova para se tornarem aquilo a que chamamos notícia e comunicação escrita como é o Jornal da Beira”.

A terminar estas comemorações, um olhar para um futuro que se espera de ligação com a Diocese, de quem é semanário, com a região, que sempre defendeu e apresentou, com a cidade de Viseu e com o seu propósito de continuar a informar e formar, em cada edição.

Para isso, queremos continuar a contar com cada assinante, com cada leitor, com aqueles que nos fazem chegar as suas colaborações. Com todos e com cada um, continuar a ser “Jornal da Beira”.

Nuno Azevedo | edição impressa JB 13/01/2022


Mostrar mais

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo