Diocese

Mons. José Fernandes Vieira (Exéquias)

CREIO NA VIDA ETERNA, NA RESSURREIÇÃO DOS MORTOS

É com sentimentos de profundo pesar, que em nome da Diocese de Viseu, comunico a todos o falecimento do Reverendo Monsenhor Cónego José Fernandes Vieira, a quem o Senhor chamou no final do dia 5 de outubro de 2021, no Hospital de São Teotónio em Viseu onde se encontrava internado recentemente.

A sua residência desde que deixou o trabalho pastoral era no Centro Sócio-Pastoral de Viseu.  Com vivacidade, a alegria, o bom humor e a boa disposição que o caracterizavam era partilhada com todos.

Nasceu na paróquia de São Martinho de Sejães a 04 de julho de 1930, onde foi batizado a 05 de agosto de 1930.

Fez a sua formação nos Seminários Menor e Maior de Viseu. Ordenado sacerdote na Sé de Viseu por D. José Moreira Pinto a 05 de julho de 1930. Iniciou a sua vida pastoral como Sub-Diretor do Lar-Escola de Santo António em Viseu a 17 de outubro de 1953.

Depois foi nomeado pároco da paróquia de Currelos-Carregal do Sal. Sucessivamente Capelão da Casa de Saúde de São Mateus. Trabalhou na paróquia de São José e de Santa Maria em Viseu. Foi Professor de Religião e Moral, Assistente da Ação Católica, Vice-Presidente do Instituto de Santa Teresinha, Capelão da Casa de Reclusão, Reitor da Igreja dos Terceiros e Capelão da Casa de Santa Zita.

No Jornal da Beira, ao serviço da imprensa católica e regionalista, esteve 46 anos nos cargos de Chefe de Redação, Administrador, Articulista, Diretor, Presidente da Fundação Jornal da Beira. Foi Presidente do Secretariado Diocesano das Comunicações Sociais, Delegado da Rádio Renascença em Viseu, Membro da Comissão Instaladora da Universidade Católica em Viseu e do seu Secretariado Executivo, Membro do Conselho Presbiteral, Diretor do Museu da Catedral e Membro do Cabido da Sé.

Monsenhor José Fernandes Vieira foi um sacerdote zeloso, homem de cultura e defensor acérrimo da imprensa cristã, foi líder com capacidade de fazer muitos amigos através do Jornal da Beira e das múltiplas atividades pastorais onde foi chamado a servir a Igreja.

Muitos foram privilegiados com o seu saber, a sua fé, a sua cultura, a sua amizade, a sua estima e gratidão, especialmente as funcionárias e funcionários do Jornal e da Livraria Diocesana, a quem ele dedicou toda a sua vida e carinho. Soube cativar amigos e colaboradores e era muito estimado por todos. Um bom administrador nos diversos serviços que lhe foram confiados e alguém para quem as palavras escritas e impressas eram como o pão que alimenta a fome aos famintos.

Muito apreciado pelos responsáveis da Imprensa regionalista, cristã e católica e por todo o clero, consagrados, leigos e pessoas humildes do povo. Mostrou sempre um amor grande à Igreja, aos seus Bispos, a todos os sacerdotes, ao povo de Deus e a toda a sociedade civil e às suas instituições. Muito fica a dever a Diocese, o Cabido, o Jornal, a Fundação do Jornal do Beira, a cidade de Viseu e muitas instituições a este sacerdote apaixonado pelos Meios de Comunicação Social a quem ele dedicou a maior parte da sua vida.

Partiu para a Casa do Pai confortado com a graça dos sacramentos, ele que amou a Igreja e a fez crescer pela oração, pela palavra, pela escrita em tantos artigos e composição do Jornal. Agradeço todo o acompanhamento e serviços que o Diretor do Centro Sócio-Pastoral, Cónego Miguel Abreu, os sacerdotes que com ele viviam, as Irmãs Carmelitas Missionárias Teresianas, os funcionários e servidores desta Instituição, médicos e enfermeiros por tudo o que fizeram sempre por ele.

Que o Senhor o recompense pelo bem que realizou em tão vastos campos de missão na Igreja diocesana. Em meu nome pessoal, da Diocese de Viseu apresento os meus sentidos pêsames à sobrinha e demais familiares, ao Padre Manuel Fernandes, pedindo a Deus que o recompense pelos trabalhos e lhe conceda o eterno descanso junto de Deus. Rezemos ao Senhor pelo seu eterno descanso e pedimos ao Senhor da Messe, que conceda à nossa Diocese muitas vocações sacerdotais.

† António Luciano dos Santos Costa, Bispo de Viseu

 

7 de outubro – Celebração das Exéquias

09.00 horas – Acolhimento na Sé pelos membros do Cabido.

09.30 horas – Eucaristia e Ofício de Laudes na Sé.

Ficará na Sé até às 13 horas.

14.00 horas – Acolhimento na Igreja de Oliveira de Frades.

17.00 horas – Celebração da Eucaristia Exequial.

Ritos finais na Cemitério de São Martinho de Sejães, onde será sepultado.


Mostrar mais

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo