Centenário JB

Na História do Jornal da Beira… Ana Duarte 18 anos ao serviço do projeto

Sonhou em ser professora de educação física, acabou por ficar a trabalhar no escritório da contabilidade do Jornal da Beira. Ana Duarte esteve 18 anos no semanário e leva o espírito de camaradagem e de cumplicidade entre todos. 

Ana Duarte começou a trabalhar no Jornal da Beira aos 23 anos, esteve um tempo à experiência, mas acabou por ficar. “O Padre Vieira já me conhecia, eu fiz caminhada na Igreja dos Terceiros com os jovens e ele era o reitor, depois fui fazer experiência de vida religiosa, estive em S. Tomé como missionária e depois regressei”, conta a antiga colaboradora. 

Quando regressou a Portugal começou a colaborar na contabilidade do semanário, não tinha o 12º ano e não tinha nenhum curso. “O curso era a vivência do dia-a-dia com aqueles que já tinham experiência”, revela.  Relembra a colega Aurora que a ajudou a entrar “na dinâmica” do jornal e uma frase que o Padre Vieira lhe disse quando ela chegou ao jornal: “nós somos todos importantes, mas todos temos de saber um pouco de tudo”.  

Apesar de estar na parte da contabilidade, Ana ajudava nos outros setores do jornal. “Éramos muitos funcionários, cada um com a sua identidade própria, ninguém é igual a ninguém. As amizades foram-se fazendo”, conta. Ao longo dos 18 anos em que trabalhou no semanário revela que “nem sempre foi fácil”, no entanto “tornamo-nos uma família, que teve altos e baixos, tinha coisas positivas e negativas, mas procurávamos sempre ter um espírito de camaradagem e de nos ajudarmos mutuamente, não só profissionalmente como pessoalmente”. Nos dias antes do jornal sair recorda que “todos ajudavam”. 

Quando a tipografia abriu começou a trabalhar na receção para os clientes não terem de entrar para ao pé das máquinas: “Era engraçado, quando as pessoas ligavam falávamos muito alto, por causa do barulho das máquinas”. Ana Duarte acaba por lembrar que havia um grande “espírito de cumplicidade” entre todos, e que faziam o magusto e sardinhadas. “Esta caminhada foi muito importante para o crescimento de todos nós”, considera a antiga colaboradora. 

Beatriz Almeida  |  com apoio da redação  |  edição impressa 30/01/2020

Mostrar mais

Artigos Relacionados

Back to top button