Centenário JB

Qual a importância para a região ter um jornal centenário?

Durante a sessão pública que iniciou as comemorações do centenário, o presidente da Câmara de Viseu, Almeida Henriques, afirmou que o Jornal da Beira “não é um jornal qualquer” porque marca a história da cidade de Viseu.

“É um jornal que marcou sempre muito bem os seus valores, sempre disse ao que vinha. Acaba por ser um jornal de matriz católica, com o intuito de contar o que foi dito, de levar a boa nova, levar a notícia, estar próximo das pessoas. Na verdade, ser ele próprio um elo de ligação entre os irmãos desta imensa Diocese e os que estão na Diáspora, espalhados pelo mundo inteiro”, acrescentou o autarca.

Almeida Henriques realçou ainda a “seriedade” com que o semanário faz o seu trabalho. “É um jornal que temos sempre de respeitar, pela forma isenta como se absteve no terreno, informando e não fazendo opinião, como muitas vezes acontece”, disse o autarca. 

A festa de aniversário do 99º aniversário, que decorreu ao final do dia na Casa Episcopal e depois se abriu ao Espaço Memória do Jornal da Beira e à livraria – espaço onde funciona a redação do semanário – contou com figuras públicas, leitores e amigos do projeto. Ana Figueiredo, leitora do Jornal da Beira, considera que o semanário é um jornal de “referência” para as pessoas ligadas à Igreja. “Em minha casa sempre me lembro de existir, o meu pai foi colaborador e, portanto, desde sempre que estou ligada a ele.”, afirma a filha de Reinaldo Correia, antigo editor do jornal.

O presidente da Assembleia Municipal de Viseu, Mota Faria, reconhece que o Jornal da Beira “sempre manteve um rumo editorial de grande isenção”, tanto uma função de informação para com os viseenses, apesar da sua matriz Católica. 

A Irmã Maria Faustino, próxima do semanário e um dos elementos da comissão executiva do programa centenário, afirma que o jornal é muito importante para a cidade porque leva a informação às pessoas. “Não é todos os dias que se faz 100 anos”, acrescenta ainda a religiosa. 

Para o professor do curso de Comunicação Social na Escola Superior de Educação de Viseu, Fernando Alexandre Lopes, o Jornal da Beira é uma “referência muito grande e incontornável da Diocese”. “É um jornal que eu conheço desde que sou gente, o meu pai já o assinava e eu assino desde os meus 22 anos. É um jornal que informa e que forma”, confessa o assinante do semanário. 

Para o presidente da Cáritas Diocesana de Viseu, Carlos Marques, o jornal tem sido” um apoio muito grande” para a divulgação dos eventos que a instituição organiza. “A cidade de Viseu deve estar muito reconhecida ao Jornal da Beira porque tem sido um jornal que impera pela verdade e pelos princípios católicos”, reconhece o responsável que com regularidade assina um espaço nas páginas da Diocese. 

Beatriz Almeida  |  com apoio da redação  |  edição impressa 16/01/2020

Mostrar mais

Artigos Relacionados

Back to top button